Fome e trauma atingem civis de Mossul

Fome e trauma atingem civis de Mossul
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os combates estão a provocar um grande número de deslocados.

PUBLICIDADE

A batalha de Mossul aproxima-se do fim, com as tropas iraquianas a controlarem já uma boa parte da cidade antiga, nomeadamente a mesquita onde Abou Bakr al-Baghdadi proclamou o autodenominado “califado”. Os combates estão a provocar um grande número de deslocados. Para o diretor do gabinete do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados em Erbil, Fred Cussigh, esta é uma população particularmente devastada: “Começámos com o leste de Mossul. Havia alguma malnutrição, um grande número de pessoas com trauma, passaram por muita violência. No oeste, a situação é cada vez pior. Quanto mais dura, mais afetadas as pessoas estão. A taxa de malnutrição é duas vezes maior que no leste. Há um nível de trauma que é enorme”, explica.

Recentemente, o exército iraquiano, com o apoio de uma coligação internacional, deu o “califado” criado pelo Daesh como extinto. No entanto, as tropas iraquianas não estão isentas de acusações: A organização não-governamental Human Rights Watch diz que durante esta operação foram agredidos vários civis desarmados, incluindo menores, e terá mesmo havido uma execução extrajudicial, a acreditar nos testemunhos.


Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Iraque: Incêndio num casamento faz mais de uma centena de mortos entre eles os noivos

Encontradas gravuras com 2700 anos no Iraque

Bashar al-Assad de visita a Xi Jinping