Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Mais 700 australianas processam Johnson & Johnson por causa dos implantes "Vaginal Mesh"

Mais 700 australianas processam Johnson & Johnson por causa dos implantes "Vaginal Mesh"
Tamanho do texto Aa Aa

Começou esta terça-feira em Sidney o processo em tribunal contra a gigante farmaceutica Johnson & Johnson intreposto por mais de 700 mulheres australianas: garantem que os implantes “Vaginal Mesh”, vendidos pela empresa, provocaram graves problemas de saúde nas pacientes. Algumas dela dizem mesmo que ficaram com a vida arruinada.

Rebecca Jancauskas, advogada de uma das queixosas, explicou que “as consequências para estas mulheres foram horríveis e muitas delas sofreram em silêncio durante anos. Hoje têm hipótese de ser ouvidas e pedir justiça pelo que perderam. É uma questão de responsabilidade e garantir que não volta a acontecer”.

Gai Thompson, uma das mulheres que avançou com o processo lembra que “durante nove anos rezou para que isto fosse divulgado, alguém vai assumir a responsabilidade pelo que aconteceu”. Gai diz ainda que nenhuma compensação, nenhum dinheiro pode pagar o que perderam a todos os níveis, na família, na saúde, na saúde emocional e física.

Num comunicado, a Johnson & Johnson garante que o uso desta malha no tratamento do prolapso de órgãos pélvicos e a incontinência urinária ajudou mulheres em todo o mundo e com bons resultados.