Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Ex-presidente Humala enfrenta detenção preventiva

Ex-presidente Humala enfrenta detenção preventiva
Tamanho do texto Aa Aa

Um juíz ordenou a detenção preventiva do ex-presidente do Peru, Ollanta Humala, e da sua mulher, Nadine Heredia, que enfrentam acusações de lavagem de dinheiro e conspiração.

A decisão, anunciada quinta-feira, autoriza a detenção preventiva por 18 meses, enquanto são investigados, depois de a acusação argumentar que o casal podia fugir do Peru.

“Os advogados entregaram os nossos passaportes. Mostrámos boa vontade em todos os momentos, mas o procurador interpreta sempre tudo ao contrário. Acho que o homem está envenenado,” declarou Ollanta Humala, após tomar conhecimento da decisão do tribunal.

O juíz, Richard Concepcion, decidiu a favor de um pedido do procurador, German Juarez, que acusa Humala e Heredia de receberem, ilegalmente, fundos do presidente venezuelano Hugo Chavez e das empresas brasileiras de construção Odebrecht SA e OAS SA. Dinheiro que terá sido usado nas campanhas de Humala e para enriquecimento pessoal.

A Odebrecht admitiu, perante as autoridades do Brasil e dos Estados Unidos, que entregou subornos de 29 milhões de dólares no Peru entre 2005 e 2014, período que abrange os governos de Alejandro Toledo (2001-2006), Alan García (2006-2011) e Ollanta Humala (2011-2016).

O mesmo juiz já tinha ordenado a detenção do ex-presidente peruano Alejandro Toledo por tráfico de influências e lavagem de dinheiro.