Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Teste nuclear coreano em plena cimeira dos BRICS

Teste nuclear coreano em plena cimeira dos BRICS
Tamanho do texto Aa Aa

O teste nuclear norte-coreano está a ensombrar a cimeira dos BRICS em Xiamen, na China. O grupo é composto pelas cinco principais economias emergentes do Mundo – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul – Aparte a condenação unânime, a nova afronta dos norte-coreanos foi ignorada.

Na abertura, o presidente chinês Xi Jinping preferiu realçar a importância crescente deste conjunto de economias: “Na última década, o PIB combinado dos nossos cinco países cresceu 179 por cento, o comércio aumentou 94 por cento e a população urbana 28 por cento. Tudo isto contribuiu muito para estabilizar a economia global, regressar ao crescimento e trazer benefícios palpáveis para três mil milhões de pessoas”, disse Xi.

O desafio é maior ainda, tendo em conta a era Donald Trump e o protecionismo norte-americano. No encontro em participam cinco outros países convidados, incluindo o México. A cimeira acontece numa altura em que a China se afirma como segunda maior economia mundial, a Índia está em pleno crescimento e os outros três países – Rússia, Brasil e África do Sul – estão confrontados com os efeitos da descida no preço das matérias-primas. A cimeira foi pretexto para um frente-a-frente entre Xi Jinping e Vladimir Putin. Foi o quarto encontro entre os dois homens este ano e serviu para fazer um apelo conjunto à paz e ao desenvolvimento.