Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Tribunal de Contas exige 5,2 milhões a ex-presidente do governo catalão

Tribunal de Contas exige 5,2 milhões a ex-presidente do governo catalão
Tamanho do texto Aa Aa

Cerca de 5,2 milhões de euros. É o montante que o Tribunal de Contas espanhol exige ao ex-presidente do governo catalão por gastos ligados à consulta independentista de 2014 declarada ilegal pela justiça.

Artur Mas, presidente Governo regional entre 2010 e 2016 foi convocado pelo Tribunal de Contas juntamente com 11 antigos funcionários para responder às suspeitas de desvio de dinheiros públicos para o processo participativo sobre o futuro político de Catalunha realizado há cerca de três anos. Três deles foram condenados a pagar, no total, qualquer coisa como seis milhões de euros. A fiança tem a particularidade de ser solidária, ou seja, o dinheiro vai ter de entrar nos cofres do Tribunal de Contas nem que o montante tenha de ser pago pelos que têm mais.

A consulta de 2014 acabou por ser declarada inconstitucional na sequência de uma providência apresentada pelo Governo espanhol. Mesmo sem valor vinculativo, o referendo acabou por se realizar.

O, então, presidente do Governo regional acabou por ser proibido de exercer funções públicas durante dois anos por ter desobedecido à decisão do Tribunal Constitucional e condenado a pagar uma multa de 36.500 euros.

Este mês, o Tribunal Constitucional espanhol suspendeu todas as leis regionais aprovadas pelo Parlamento e pelo Governo da Catalunha que davam cobertura legal ao referendo de autodeterminação convocado para 01 de outubro.