Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Será Tusk um possível mediador para a Catalunha?

Será Tusk um possível mediador para a Catalunha?
Tamanho do texto Aa Aa

O executivo comunitário continua a confiar na capacidade do governo espanhol para resolver a crise na Catalunha, apesar dos apelos das autoridades catalãs e de alguns eurodeputados para que seja a entidade mediadora.

“Confiamos nas instituições espanholas, no primeiro-ministro Rajoy, com quem o presidente Juncker está em constante contacto, e em todas as forças políticas que estão a trabalhar em soluções no âmbito da Constituição espanhola”, disse o vice-presdiente da Comissão Europeia, Valdis Dombrovskis, na conferência de imprensa ordinária, quarta-feira, em Bruxelas.

A questão da ilegalidade do referendo desde o primeiro momento continua a ser o principal argumento, algo que as autoridades catalãs consideram ser uma visão redutora.

O representante da Catalunha junto das instituições europeias,madeo Altafaj, vê agora como mais provável a intervenção de outras entidades comunitárias.

“Trata-se de política, trata-se de emoções e de sentimentos, tal como o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, disse, ontem, e com razão, trata-se de respeito. Esperemos que o governo espanhol, mais cedo ou mais tarde, ponha de lado esta posição de força, as palavras duras e, efetivamente, se empenhe e mostre vontade de resolver esta questão através da política”, disse, à euronews.

Num discurso no Comité das Regiões, em Bruxelas, terça-feira, Donald Tusk salientou ser um “forte crente no lema da União Europeia: Unidos na diversidade”.

O presidente do Conselho realçou, ainda, que sabe o que é “ser membro de uma minoria étnica e ser agredido por bastões de polícias”.