Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

De professora a "assassina" de elite na Síria

De professora a "assassina" de elite na Síria
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Uma mulher tem estado em destaque nas Forças de Defesa Nacional (FDN), um grupo civil de voluntários que tem vindo a combater ao lado do governo da Síria contra o terrorismo no país.

Roaeda é uma licenciada dedicada à literatura árabe e é professora universitária, mas entendeu que podia ser mais útil à Síria com uma arma na mão do que com os livros. Especializou-se a matar à distância. Quer erradicar os terroristas do país.

Sem deixar de parte o lado mais feminino, a maquilhagem não a impediu de revelar aptidões no tiro ao alvo.

“Todos os instrutores me disseram que devia tornar-me numa atiradora de elite porque disparava com muita precisão”, contou Roaeda, a uma equipa de reportagem no território sírio.

Acrescenta ter ficado “muito feliz” com a possibilidade de se tornar “sniper”, o termo anglófono que distingue os atiradores especiais das forças militares. “Trabalhei muito e juntei-me aos treinos dos atiradores de elite para me tornar numa ‘sniper’ eficaz”, conclui aquela que é atualmente a única atiradora de elite entre as voluntárias que das FDN.

Quando recebeu a distinção como “sniper”, Roaeda passou à ação e participou em ataques precisos contra terroristas em Hama, Salamiyah, a sua cidade natal, e Palmira, a agora tristemente famosa cidade histórica praticamente arrasada pelos jiadistas afetos ao grupo terrorista autoproclamado Estado Islâmico.

“Um professor contribui para o país educando as pessoas e abrindo o futuro às crianças. Os ‘snipers’ são mais práticos”, destaca Roaeda, prometendo continuar de arma em punho até à extinção do terrorismo na Síria. Não foram revelados os números de mortes já registados no cadastro desta “assassina” de elite.