Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Legends of Space, ep 11: Ariane 1

Legends of Space, ep 11: Ariane 1
Tamanho do texto Aa Aa

Na véspera de Natal, de 1979, o primeiro foguetão Ariane descolou envolto em grandes suspiros de alívio da multidão de engenheiros e personalidades, reunida na Guiana Francesa. A nova rampa de lançamento marcou um marco significativo no caminho da Europa para se tornar numa verdadeira potência espacial, mas quase não aconteceu…

A tensão do evento foi agravada por um lançamento fracassado, no início do mês, provocado por um computador de bordo que cortou a energia do motor, três segundos após a ignição, como contou à euronews o antigo diretor de programa Ariane da ESA, Raymond Orye: “A operação, após um lançamento abortado é algo perigosa, muito delicada. Foi gerida perfeitamente, mas demorou algum tempo, porque foi necessário esvaziar o foguetão, limpá-lo e colocá-lo na rampa, novamente”.

Pierre Ribardière foi o diretor de Operações da agência espacial francesa CNES, durante aquela primeira operação Ariane, e lembra que tanto ele como os colegas “sentiram intimamente que embora não fosse, talvez, a última oportunidade seria muito difícil prosseguir com o lançamento após um fracasso.”

Foram vários os fatores que fizeram escalar a tensão em torno deste lançamento – ao nível prático, os engenheiros tinham pouca quantidade dos gases que precisavam para fazer combustível para o Ariane, e se o lançamento da Noite de Natal não tivesse sido bem-sucedido, teriam de enviar o foguetão de volta a França continental, para ser totalmente remodelado. No plano político, a CNES estava sob pressão para mostrar que poderia gerar resultados e estabelecer tanto França como a Europa como potências espaciais significativas, com os próprios foguetões portadores de satélites.

O lançamento, no dia 24 de dezembro, correu bem. Ribardière recorda: “A órbita era perfeita. Não houve grandes surpresas e, naquele momento, houve apenas uma onda de alegria. Foi realmente inesquecível”.

Para Orye, olhando para trás, este foi um marco importante: “O lançamento do Ariane 1 é o evento que mais me marcou, na minha carreira profissional”.