Última hora
This content is not available in your region

Israel reduz a escombros escolas financiadas pela União Europeia

Israel reduz a escombros escolas financiadas pela União Europeia
Tamanho do texto Aa Aa

Reduzidas as escombros. O Estado hebraico demoliu mais duas escolas financiadas pela União Europeia na Cisjordânia ocupada. Israel diz que os estabelecimentos de ensino destinados à comunidade beduína foram construídos ilegalmente.

Os alunos dizem estar cansados até porque esta não é a primeira vez. "Não nos querem deixar aprender. Cada vez que se constrói uma escola, chegam aqui e destroem-na" afirma o estudante, Osama Younis.

Shadi Othman, dirigente europeu em Jerusalém já confirmou que este não caso único e exigiu que Israel "deixe de destruir projetos que visam melhorar as condições de vida dos palestinianos." Condições que muitos dizem ser incompatíveis com a política expansionista nos territórios ocupados.

"Esta área está na mira dos colonatos, estamos rodeados de construções israelitas. Eles querem expandir os colonatos e roubar as terras à volta de Jerusalém" refere Adnan Husseini, Governador de Jerusalém.

De acordo com um relatório dos chefes de missão da União Europeia em Jerusalém divulgado, recentemente, as atividades turísticas estão a contribuir para consolidar a expansão de colonatos.

O Serviço para a Coordenação dos Assuntos Humanitários fez as contas e garante que existem pelo menos 45 escolas nos territórios palestinianos que podem vir a ser demolidas por Israel.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.