Última hora

Última hora

Russos ainda confiantes no TAD para competir em Pyeongchang

Há 169 atletas na Coreia do Sul integrados na "equipa olímpica da Rússia"
Há 169 atletas na Coreia do Sul integrados na "equipa olímpica da Rússia" -
Direitos de autor
REUTERS/Cathal McNaughton
Tamanho do texto Aa Aa

A Rússia aguarda com otimismo a decisão, esta quinta-feira, da divisão "ad hoc" do Tribunal Arbitral do Desporto sobre o recurso de 32 atletas impedidos pelo Comité Olímpico Internacional de competir nos Jogos Olímpicos de PyeongChang, cuja cerimónia de abertura é sexta-feira.

Os responsáveis russos revelam-se otimistas apesar do escândalo de doping que afetou o respetivo desporto gerado por um relatório pedido pelo COI, cuja investigação se estenbdeu por alguns anos e foi até às últimas olimpíadas de inverno, em Sochi.

O caso, que implica até o governo liderado por Vladimir Putin, já afetou as olimpíadas de verão no Rio de Janeiro, em 2016, e levou agora o COI a emitir uma lista restrita de atletas russos passíveis de competir nos Jogos, mas como neutros, deixando de fora inclusive alguns campeões olímpicos.

Thomas Bach, o presidente do COI, admite que o organismo tem "bons argumentos" para essa decisão, mas optou por "não especular sobre a decisão final" do TAD porque "o processo está em curso."

A Rússia tem 169 atletas em PyeongChang com autorização para competir, mas sem bandeira. Vão apresentar-se enquanto "atletas olímpicos da Rússia", de acordo com a designação no site oficial das olimpíadas.

O secretário-geral do TAD, Matthieu Reeb, garante que se o recurso lhes for favorável, os atletas russos impedidos antes pelo COI, mas que recorreram dessa decisão - entre eles Anton Schipulin e Viktor Ahn -, ainda vão poder competir em PyeongChang. Um porta-voz do TAD, citado pela agência russa TASS, perspetivou que a decisão seja conhecida ao final do dia, véspera da abertura oficial das olimpíadas sul-coreanas.