Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Editor da Folha explica à Euronews o fim do conteúdo no Facebook

Editor da Folha explica à Euronews o fim do conteúdo no Facebook
Tamanho do texto Aa Aa

O jornal A Folha de São Paulo, um dos maiores media brasileiros, decidiu parar de publicar conteúdo na sua página oficial do Facebook. 

O perfil será mantido aberto, ainda que deixe de ser atualizado.

A medida surge após a rede social ter atualizado o seu algoritmo e mudado o feed, privilegiando as interações pessoais, ou seja, posts de amigos e familiares.

A decisão reduz o alcance de conteúdo criado por empresas, marcas e meios de comunicação social. Para a maioria dos media, foi como um balde de água fria.

Em entrevista à Euronews, o editor executivo da Folha de São paulo, Sérgio Dávila, explicou que "a audiência gerada pela página oficial da Folha no Facebook tem vindo a cair desde a mudança de algoritmo anunciada pela empresa em janeiro."

Evitar a propagação das fake news

Em comunicado oficial, o jornal disse acreditar que a mudança no feed de notícias aumenta a tendência do usuário de consumir o conteúdo com que possui maior afinidade e isso contribui para o detrimento do jornalismo profissional e favorece “a criação de bolhas de opiniões”, assim como a propagação das chamadas fake news ou notícias falsas.

Ao ser questionado sobre se a decisão é uma forma de protesto, Dávila limitou-se a responder: “Toda decisão editorial tem um componente político”.

“Se o Facebook mudar sua política em relação ao conteúdo de jornalismo profissional, a Folha poderá repensar sua decisão,” acrescentou.

O editor da Folha espera ainda que outros media possam unir-se ao jornal nesta iniciativa.

“Quanto mais veículos de jornalismo profissional deixarem de atualizar suas páginas, mais fortalecido sairá o jornalismo profissional.”

O Grupo Folha lidera hoje o mercado brasileiro em número de assinaturas digitais e de seguidores do Facebook, com 5,9 milhões de inscritos na página oficial.

Ainda assim, o jornal acredita que a decisão de cessar as atualizações do seu perfil na rede não prejudicará o número de leitores.

“Um dos nossos maiores geradores de audiência hoje é a própria página da Folha, o que mostra a força da marca junto aos leitores,” garantiu Dávila à Euronews.

Tanto leitores como jornalistas poderão continuar a partilhar conteúdo do jornal nas suas páginas pessoais.

De acordo com Sérgio Dávila, os profissionais da casa apoiaram, em grand,e parte a nova medida, apesar de “críticas eventuais”.