EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Putin diz que "Reino Unido deve ir ao fundo" do caso Skripal

Putin diz que "Reino Unido deve ir ao fundo" do caso Skripal
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Presidente russo comentou assim as acusações vindas do Reino Unido a propósito da tentativa de homicídio de ex-espião russo

PUBLICIDADE

As autoridades russas negam qualquer responsabilidade e envolvimento no caso da tentativa de homicídio do ex-espião russo Sergei Skripal.

Na jornada desta segunda-feira Vladimir Putin esteve em Krasnodar, onde visitou um Fórum Agrícola, mas por lá os jornalistas questionaram o Presidente russo sobre outros dossiers.

"Estamos aqui para falar de agricultura. Como se pode perceber o nosso objetivo é criar melhores condições de vida para as pessoas mas está a falar-me de algumas tragédias. Primeiro o Reino Unido dever ir ao fundo das coisas e depois discutimos", respondeu Putin a um jornalista quando questionado sobre o envolvimento da Rússia no caso.

Em linha com Putin, os meios de comunicação estatais russos falam numa tentativa de manchar a imagem do país. O mesmo discurso foi reproduzido pelo deputado e ex-agente do KGB Andrey Lugovoy, acusado de ter envenenado o também antigo agente Alexander Litvinenko com polónio radioativo.

"Esta história faz parte de um grande plano para descredibilizar a Rússia. Primeiro foi Grigory Rodchenkov, depois os Jogos Olímpicos de inverno e agora Skripal. Há ainda o Campeonato do Mundo. Todas as histórias anteriores com que tentaram acusar-nos como a Crimeia e a Ucrânia estão a perder importância", disse Andrey Lugovoy.

Tal como Andrey Lugovoy, o ex-espião Dmitry Kovtun também foi acusado, pela justiça britânica, do assassinato de Litvinenko no Hotel Millenium de Londres a 1 de novembro de 2006.

Já Sergei Skripal foi processado por Moscovo em 2004 por ter colaborado com os serviços secretos britânicos. Acabou por ser libertado numa troca de espiões e instalou-se no Reino Unido.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Civis eslovacos já doaram mais de 4 milhões de euros à Ucrânia para aquisição de munições

Controversa lei de mobilização entra em vigor na Ucrânia

Guerra na Ucrânia: dez mil pessoas obrigadas a abandonar Kharkiv