A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Xi Jinping avisa Taiwan sobre reunificação com a China

Xi Jinping avisa Taiwan sobre reunificação com a China
Direitos de autor
REUTERS/Damir Sagolj
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O presidente chinês Xi Jinping, reconduzido no último fim de semana para mais um mandato, anunciou esta terça-feira no Congresso Nacional do Povo que o país está mais perto da unidade territorial e que nada vai travar esse desígnio.

Uma mensagem nacionalista forte e cujo aviso tem como destino Taiwan, o território de 23 milhões de pessoas que continua a proclamar-se independente da China. Perante quase 3.000 delegados, Xi Jinping afirmou que o povo chinês tem como "apiração comum a completa unificação" da pátria e deixou um aviso que vai além-fronteiras.

"Perante a vontade das pessoas e a tendência da história, quaisquer ações e truques para dividirem a China estão condenados ao fracasso e enfrentarão a condenação do povo, bem como o castigo da história", acrescentou.

Apesar do aumento da pressão por Xi Jinping, Taiwan mostra-se por agora indiferente ao presidente chinês. O ministro dos Negócios estrangeiros de Taiwan, Andrew Lee, garante mesmo que o país vai manter a sua luta.

"Quanto ao que Xi Jinping disse, penso que não nos importa a visão que outro país tem em relação à nossa diplomacia. Os nossos esforços não vão parar nem diminuir, vamos continuar", frisou.

A China deseja a unificação pacífica do seu território, mas a ilha é favor de manter o atual estatuto. Contudo, o reforço de poderes de Xi Jinping, que deixa de estar sujeito à limitação de mandatos, abre a porta a novas medidas para a reunificação.