EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Nicarágua: Amnistia Internacional denuncia uso de força letal contra manifestantes

Nicarágua: Amnistia Internacional denuncia uso de força letal contra manifestantes
Direitos de autor REUTERS/Oswaldo Rivas
Direitos de autor REUTERS/Oswaldo Rivas
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Segundo o relatório da organização não-governamental, pelo menos 85 pessoas morreram e cerca de mil ficaram feridas desde o início da crise sociopolítica, há mais de um mês.

PUBLICIDADE

A Amnistia Internacional acusa o Governo da Nicarágua de recorrer ao uso de força letal para reprimir as manifestações contra o presidente Daniel Ortega.

Segundo o relatório da organização não-governamental, pelo menos 85 pessoas morreram e cerca de mil ficaram feridas desde o início da crise sociopolítica, há mais de um mês.

A Amnistia denuncia, ainda, o conluio entre as autoridades com grupos paramilitares, referindo que foram coordenados ataques contra os manifestantes, onde foram usadas armas semiautomáticas.

A organização humanitária denunciou, ainda, o recurso a execuções extrajudiciais e o controlo dos órgãos de comunicação social pelo Governo de Daniel Ortega.

A Amnistia Internacional exige que as autoridades da Nicarágua garantam e respeitem o direito à liberdade de expressão e à manifestação pública e pacífica. Recomenda que as forças de segurança se abstenham de realizar atos de intimidação e de repressão, assim como a abertura de investigações imparciais e independentes às execuções extrajudiciais.

As manifestações contra o presidente Ortega começaram no dia 18 de abril, devido a uma reforma da Segurança Social, foram subindo de tom por causa da violência das autoridades contra os manifestantes.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Seis mortos em mais um dia de sangrentos protestos