Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

"A Mulher" traz Glenn Close aos cinemas

"A Mulher" traz Glenn Close aos cinemas
Tamanho do texto Aa Aa

Neste enredo, Glenn Close é a mulher. A mulher de um nobel da literatura, mas também aquela que, na sombra de uma relação conjugal aparentemente perfeita, gostaria de ter sido escritora.

"A Mulher" é um filme realizado por Björn Runge, que tem como protagonistas Jonathan Pryce e Glenn Close.

No guião, são um casal numa relação tóxica, em que a mulher abdica do talento em nome do sucesso do marido. Na realidade, a atriz dá vida a uma personagem que chega a uma Hollywood pós-movimento "#MeToo* com questões sobre a subordinação da mulher.

A protagonista sabe bem a carga acrescida que o filme tem nos dias que correm. "Este filme levou 14 para ser feito. Quem diria que seria tão relevante? Embora ache que uma história como esta, que é tão específica, scobre uma relação humana tão complexa, seja sempre relevante", disse Glenn Glose, na antestreia de "A Mulher" em Hollywood.

Apesar do enquandramento sociopolítico, os atores acreditam que este é um filme que deve ser visto tanto por mulheres, como por homens. A mensagem é para todos, a qualidade que acreditam o filme ter, também. "É um filme inteligente. Não temos muitos destes, hoje em dia. Temos boas histórias, bons filmes épicos, mas filmes inteligentes bem contados não temos muitos e acho que este é um deles", afirmou Jonathan Pryce.

Com a interpretação em "A Mulher", Glenn Close posiciona-se entre as favoritas para os Oscar, prémio para o qual a atriz já foi nomeada seis vezes.

Em Portugal, a estreia está prevista para 18 de outubro