Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Alexei Navalny detido à porta de casa

Alexei Navalny detido à porta de casa
Tamanho do texto Aa Aa

Alexei Navalny, um dos rostos mais conhecidos da oposição ao Presidente Vladimir Putin foi detido à porta de casa, em Moscovo.

Desconhecem-se, para já, os motivos da detenção deste sábado. De acordo com o advogado do ativista russo, Navalny terá passado por um hospital para receber assistência por suspeitas de ter um dedo partido.

É a quarta vez este ano que Navalny é preso.

"Apesar das exigências da lei em relação à polícia, não lhe foi mencionada a razão da detenção. Retiraram-lhe o telefone, ainda que possa usá-lo até ao veredicto do tribunal. Trouxeram-no para a prisão e não deixam entrar o advogado. Alegam que está em curso um procedimento operacional devido a uma ameaça terrorista. Ao fazê-lo violam o direito de uma pessoa se defender", sublinha Aleksandr Pomazuyev, da Fundação Anticorrupção.

O porta-voz do opositor, Kira Iarmych, diz que a detenção está "provavelmente relacionada" com os planos de Navalny organizar manifestações a nível nacional a 9 de setembro contra o polémico projeto de reforma do sistema de pensões.

Horas antes de ser detido, o ativista anticorrupção, de 42 anos, escreveu no Twitter que ia fazer "anúncios interessantes" num vídeo em direto nas redes sociais às 13h, sensivelmente a hora a que foi detido.