Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

A paranoia da Casa Branca depois do artigo do Times

A paranoia da Casa Branca depois do artigo do Times
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A Casa Branca vive momentos de tensão e paranoia, depois do artigo de opinião anónimo publicado no New York Times, que denuncia as más decisões de um presidente dos Estados Unidos "errático" e "irresponsável" e que fala na existência de uma "resistência interna" na Administração Trump.

Entre comunicados e desmentidos, vários foram os membros do Governo que se apressaram a esclarecer perante a opinião pública que não eram responsáveis pelo artigo e a rejeitar a atitude do diário nova-iorquino.

A vice-presidência publicou um comunicado, insistindo na inocência de Mike Pence. "O vice-presidente assina as tribunas que escreve," disse, no Twitter, o porta-voz.

Aos jornalistas, Pence disse que a situação era "uma desgraça."

"O artigo de opinião anónimo publicado no New York Times representa uma falta de nível sem igual no jornalismo Americano e penso que o New York Times deveria ter vergonha. E penso que quem escreveu este artigo também deveria ter vergonha."

Em viagem oficial à Índia, o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, disse que o texto não era de sua autoria.

A mesma mensagem chegou dos serviços de comunicação do secretário da Defesa, Jim Mattis.

Dan Coats, diretor nacional dos Serviços Secretos norte-americanos, apressou-se também a defender-se do que referiu como "rumores." "As especulações segundo as quais a tribuna do New York Times foi escrita por mim são falsas," referiu em comunicado.

Críticas de Melania Trump

Mais inesperada foi a reação da primeira-dama, Melania Trump. Num comunicado enviado à CNN, a mulher do presidente criticou que o autor do artigo de opinião pudesse permanecer no anonimato.

"Vocês não protegem o país. Vocês prejudicam-no com as vossas ações covardes."

No Twitter, Sarah Sanders, a porta-voz da Casa Branca, disse que a obsessão dos jornalistas com a identidade do autor prejudica quem trabalha para o presidente.

Mas Donald Trump pensa que até seria um "bom furo para um jornalista" descobrir quem escreveu no Times.

Quinta-feira, Trump disse aos jornalistas, durante um meeting no Montana, que o New York Times deveria revelar o nome do "covarde" que escreveu o artigo de opinião.

"Ninguém sabe quem sabe," disse o presidente em Billings, onde teve lugar o centro. O presidente Trump disse que quem escrevia sob anonimato defendia os próprios interesses e que representavam "uma ameaça contra a democracia."

O diário defende a decisão que tomou e diz que o artigo dá a conhecer à opinião pública dos Estados Unidos o que realmente se passa nas esferas do poder, em Washington e na Casa Branca. O anonimato, diz o Times, é uma forma de garantir que quem faz as denúncias não perde o emprego.