Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Terror de Leigh Whannell em destaque no MoteLX

Terror de Leigh Whannell em destaque no MoteLX
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Há doze anos que o MoteLX anda a aterrorizar os lisboetas. Este ano, o Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa voltou com mais sangue, mais sustos... e convidados de primeira linha, como tem sido hábito desde o primeiro ano.

Leigh Whannell, criador de sagas como "Saw" e "Insidious" é ator, argumentista e agora também cineasta. Apresentou aqui "Upgrade", a segunda longa metragem como realizador. Para ele, a atualidade é sempre uma boa fonte de inspiração.

"Sempre que há confusão no mundo, sempre que alguma coisa má acontece, o cinema de terror responde. Vivemos numa altura estranha para o mundo, sobretudo nos Estados Unidos. Espero que a experiência com Donald Trump resulte num bom lote de filmes de terror. Talvez seja uma das poucas coisas boas da presidência dele, porque o terror é um reflexo das nossas ansiedades", disse Whannell em entrevista à euronews.

O prémio principal do Festival, o Meliès d'Argent de melhor longa-metragem europeia, foi para "Hagazussa: a Heathen`s Curse", primeira longa-metragem do austríaco Lukas Feigelfeld - um conto negro passado na Europa do século XV, em torno das crenças populares da altura.