Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Skripal: Londres acusa a Rússia de estar a mentir

Skripal: Londres acusa a Rússia de estar a mentir
Tamanho do texto Aa Aa

Numa entrevista televisiva, os dois homens acusados pelo governo britânico de terem envenenado o antigo espião russo, Sergueï Skripal e a filha, em Inglaterra, alegam ter estado em Salisbury apenas como turistas.

Londres classificou estas declarações de "mentira" e "atentado contra a inteligência" das pessoas.

O ministro britânico dos Negócios Estrangeiros, Jeremy Hunt, escreve num tweet que "é tempo de acabar com os falsos espetáculos televisivos".

Em resposta, a porta-voz da diplomacia russa questiona: "Em que se baseiam os britânicos para fazerem estas declarações? Trata-se de uma declaração política? Porque é que dizem que é uma mentira?"

Os dois homens dizem chamar-se "Rouslan Bochirov e Alexandre Petrov", o que levanta dúvidas a Londres.

Segundo a versão das autoridades britânicas, são agentes dos serviços de informação militar russo, GRU, e envenenaram Sergey Sripall e a filha, Iulia. Chegaram a Salisbury no dia 3 de março para observações e voltaram no dia 4, onde contaminaram a porta de entrada de casa de Sergueï Skripal com Novitchok, uma substância neurotóxica de origem soviética.

Os Skripal sobreviveram ao ataque. A crise diplomática entre a Rússia e os países ocidentais promete continuar. A administração de Donald Trump já tinha imposto, em agosto, uma primeira série de sanções a Moscovo, após ter chegado à conclusão que a Rússia estava por detrás deste caso. Na altura, Washington fixou um prazo de 90 dias às autoridades russas para provarem que já não utilizam armas químicas e biológicas.