Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Xangai: a nova Silicon Valley

Xangai: a nova Silicon Valley
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Inovação e empreendedorismo são os dois fatores chave que fazem de Xangai a nova Silicon Valley. Como é que Xangai consegue atrair milhares de empresas inovadoras que tiram partido do ecossistema vibrante e cosmopolita da cidade?

A empresa chinesa Xiaoi trabalha nas áreas da Inteligência Artificial e da robótica e está sedeada em Xangai.

"Xangai foi sempre uma cidade financeira internacional. Atrai muitos talentos e recursos. O governo dá muito apoio. A cidade tem uma localização estratégica que estimula o desenvolvimento", sublinhou Makino Mao, diretor de Marketing da empresa chinesa.

A Mobike propõe um serviço de bicicletas partilhadas em que o utilizador pode usar a bicicleta e deixá-la onde quiser. A empresa chinesa criada em 2015 e sedeada em Xangai possui seis milhões de bicicletas em várias cidades do mundo e vinte milhões de utilizadores por dia.

"É uma rede de bicicleta sem estações, algo popular em relação às redes de bicicletas partilhadas tradicionais. A partir de uma aplicação no telemóvel, o utilizador localiza a bicicleta, é como jogar Pokemon. Depois basta digitalizar o código da bicicleta com o telemóvel para desbloqueá-la num segundo. Pode usar a bicicleta à vontade e voltar a bloqueá-la em qualquer sítio", explicou He Han Qui, gestor da empresa.

Um dos pontos fortes da rede de bicicletas desenvolvida pela Mobike é a rapidez da geolocalização.

"A bicicleta integra um GPS e um cartão SIM. Na verdade, tem três sistemas de geolocalização e um processador. Por isso, é muito fácil encontrar a localização exata da bicicleta com o telemóvel", acrescentou o responsável da Mobike.

Xangai é uma das cidades estratégicas da chamada Nova Rota da Seda, um plano de ligações marítimas e ferroviárias, para ligar a China, a Rússia e a Europa.

"Xangai é a capital do import-export e do comércio na Ásia. Aqui compram-se e vendem-se muitos produtos. O governo chinês lançou a iniciativa Nova Rota da Seda. O objetivo é ligar a China ao Leste e ao Oeste. Por isso, Xangai é um mercado perfeito para organizar eventos e conferências", afirmou Paul Alexander, gestor do Hotel Band.

Nas proximidades de Xangai, a antiga cidade de Zhujiajiao oferece um ambiente bucólico onde é possível aprender caligrafia chinesa, praticar Tai Chi e aprofundar os conhecimentos sobre a cultura chinesa.

Novo centro de Congressos

Tradição e modernidade vivem lado a lado numa cidade que se afirma cada vez mais como ponto de encontro entre culturas e plataforma comercial global. O Centro Nacional de Exposições e Conferências abriu portas em 2015. Em novembro, organiza a primeira exposição internacional dedicada à importação. As empresas participantes beneficiam de uma plataforma na Internet que permite entrar em contacto com potenciais parceiros e vender produtos e serviços.

"O Centro Nacional de Exposições e Conferências é uma grande estrutura para eventos complexos. É uma plataforma nacional para o comércio e as exposições que serve para desenvolver a política chinesa de reformas e abertura definida pela iniciativa Nova Rota da Seda e para promover o desenvolvimento do comércio e das exposições industriais em Xangai", explicou Peng Chun Yan, gestor operacional do Centro Nacional de Exposições e Conferências de Xangai.

O rio Huangpu, um dos símbolos de Xangai, atravessa a cidade dividindo-a em duas regiões, Puxi, no oeste e Pudong, a leste. Uma empresa chinesa espera desenvolver um novo negócio em torno do rio.

"Vamos tornar o rio num produto turístico de grande classe antes de 2020. Propomos uma viagem pelo rio e serviços de catering em navios. O nosso cliente alvo é a classe média e alta. Servimos comida refinada para agradar ao nosso cliente alvo", disse Fang Ao, gestor operacional da empresa.

Além dos negócios, do lazer e da cultura, Xangai aposta também na gastronomia. O objetivo dos chefes é mergulhar nas tradições culinárias para combater os preconceitos sobre a comida chinesa.

"A abordagem culinária de Xangai reflete a atitude da cidade em relação à vida, a atenção prestada ao detalhe. Para o nosso chefe é muito importante preservar a herança gastronómica de Xangai e praticar os métodos tradicionais da cozinha chinesa", frisou Luisa Wang, representante da marca YongFoo Elite.