Última hora
This content is not available in your region

Orbán acusa EU de não ter defendido as fronteiras da Europa

euronews_icons_loading
Orbán acusa EU de não ter defendido as fronteiras da Europa
Tamanho do texto Aa Aa

No aniversário da revolução húngara de 1956, o primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orbán, disse que a União Europeia é liderada por políticos que querem fundar um "império europeu".

Acusou os líderes da União de não terem defendido as fronteiras da Europa ao aceitarem a chegada de migrantes em massa.

Esta terça-feira em Budapeste, Orbán centrou o discurso político numa franca rejeição à imigração, que considera ser um perigo para a cultura europeia. Dizendo que há que escolher um lado nesta luta e convidar aqueles que acreditam na Europa das nações, para que seja possível hastear a bandeira de uma Europa livre e forte. Apelou à escolha da independência e da cooperação das nações face a um governo global e controlador. Apelou ainda à rejeição do globalismo pela cultura do patriotismo."

Vários partidos protestaram em Budapeste contra Orbán, no dia em que a Hungria assinalou o aniversário da Revolução de 23 de outubro de 1956, que derrubou o estado comunista.