EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

May tenta convencer ministros com "acordo técnico" do Brexit

May tenta convencer ministros com "acordo técnico" do Brexit
Direitos de autor 
De  Rodrigo Barbosa com AFP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Dia crucial para a primeira-ministra britânica, que precisa de convencer os seus ministros reunidos esta tarde em Londres acerca do "acordo técnico" sobre o Brexit alcançado ontem com Bruxelas

PUBLICIDADE

O futuro do Brexit e, possivelmente, da própria primeira-ministra britânica estará em jogo no Conselho de Ministros desta tarde em Londres.

Theresa May terá de convencer os membros do governo, em particular os mais eurocéticos, a aprovarem o "acordo técnico" alcançado ontem com Bruxelas sobre o tratado que definirá os termos da saída do Reino Unido da União Europeia.

Apesar dos detalhes do acordo, que resolverá nomeadamente a questão da fronteira irlandesa - um os principais obstáculos -, não terem sido divulgados, para os defensores do chamado "hard Brexit" é já inaceitável.

O ex-chefe da diplomacia britânica Boris Johnson diz que "foi amplamente discutido e é o que devem fazer é dizer à primeira-ministra que não será aceitável fora da Câmara dos Comuns, ou para o povo britânico, porque não cumpre claramente o mandato dado pelo povo britânico em 2016".

O deputado eurocético conservador Jacob Rees-Mogg afirma que este acordo se traduziria num "Estado vassalo e num falhanço na posição de negociação do governo e no cumprimento do Brexit".

De Bruxelas para já a posição é de silêncio total, embora o jornal Público tenha indicado que ontem não chegou nenhum texto definitivo às representações permanentes dos Estados-membros da UE para uma primeira apreciação.

Se May conseguir convencer os ministros, poderá desbloquear a possibilidade da convocação de uma cimeira dos Vinte e Sete sobre o Brexit para breve.

Mas não significa que a chefe do governo britânico estará livre de preocupações, já que qualquer acordo deverá ser aprovado no Parlamento em Londres, onde uma votação favorável está longe de ser um dado adquirido.

Outras fontes • Público

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Brexit: Um esboço e boas intenções

Afinal, Nigel Farage vai concorrer às eleições no Reino Unido

William apareceu sem Kate na "Garden Party" de verão do Palácio de Buckingham