Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Theresa May defende acordo do "Brexit"

Theresa May defende acordo do "Brexit"
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Theresa May defendeu na Câmara dos Comuns o Acordo de Saída do Reino Unido da União Europeia.

Depois de Bruxelas, a primeira-ministra britânica viveu esta segunda-feira mais uma jornada de emoções fortes. Na frente doméstica, travou outra cruzada e insistiu que a rejeição do documento implica um regresso à "estaca zero" e vai provocar "mais discórdia e incerteza."

"Posso afirmar perante a Câmara com certeza absoluta que não existe um acordo melhor possível. Esta Câmara terá de fazer uma escolha. Podemos apoiar este acordo, respeitar o sentido do voto do referendo e seguir em frente para construir um futuro melhor de oportunidades e prosperidade para o nosso povo. Ou a câmara pode optar por rejeitar este acordo e voltar à estaca zero porque ninguém sabe o que acontecerá se este acordo não passar."

Perante as ameaças de chumbo, o líder da oposição, o trabalhista Jeremy Corbyn, classificou como um "ato de automutilação nacional" a insistência de May em defender o acordo: "A verdade é que com este Governo nunca fomos além da estaca zero. Que não restem dúvidas de que este acordo nos vai deixar com o pior de todos os mundos, sem ter algo a dizer sobre as regras futuras e sem ter certezas de futuro. O próprio gabinete da primeira-ministra não consegue vender em conjunto o acordo."

A contagem decrescente para 11 de dezembro, o "Dia D" da votação do acordo no parlamento britânico, está em marcha.

O Acordo de Saída do Reino Unido da União Europeia, aprovado este domingo no Conselho Europeu extraordinário em Bruxelas, tem de ser ratificado pelo Parlamento Europeu.