A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Gabriel Medina faz história nos "tubos" do Havai

Gabriel Medina sela segundo título mundial com triunfo no Havai
Gabriel Medina sela segundo título mundial com triunfo no Havai -
Direitos de autor
REUTERS/ WSL
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Gabriel Medina é o primeiro brasileiro a tornar-se duas vezes campeão mundial de surf (WSL, na sigla original).

Depois da primeira conquista em 2014, o paulista, de 24 anos, garantiu o segundo título logo na semifinal do Pipe Masters de Oahu, no Havai, derradeira etapa da Liga Mundial de surf deste ano.

Apesar de seguir para a final já como bicampeão, mesmo assim Medina não facilitou numa prova onde a melhor classificação conseguida são dois segundos lugares em 2014 e 2015.

Após garantir o título diante do sul-africano Jordi Smith, o brasileiro reencontrou no duelo decisivo Julian Wilson, o mesmo rival com que acabou derrotado em 2014, ano em que chegou à final também já como campeão da WSL.

O australiano já tinha o segundo lugar no Mundial garantido, venceu nas meias-finais o ícone veterano do circuito, o norte-americano Kelly Slater, mas queria despedir-se da temporada uma vez mais com um triunfo sobre o recém-consagrado campeão e fez por isso apesar de uma primeira onda algo modesta.

Wilson conseguiu aliás duas pontuações muito boas à terceira e quarta ondas (7.93 e 8.77), colocando-se na frente da final.

Só que Medina apresentou-se no Havai num grande momento de forma e determinado a vencer pela primeira vez nos "tubos" Banzai de Oahu.

À quarta onda, o brasileiro igualou a melhor pontuação de Wilson e, na derradeira, conseguiu mesmo 9.57 pontos, garantindo não só um triunfo histórico pessoal como a nona vitória brasileiro em onze etapas da WSL 2018.

É caso para dizer que este foi o ano do Brasil no surf mundial, com Filipe Toledo a terminar na terceira posição da classificação geral e Italo Ferreira na quarta.

Para o novo bicampeão, "o Pipe Masters é diferente de tudo". "Trabalhei muito duro para conseguir isto. Estou muito feliz. Foi uma grande final. O Julian é um competidor muito forte. Na final, iria vencer o melhor e nós os dois apostamos num 'frfeesurf'. Ele já me tinha ganho aqui. Agora ganhei eu", afirmou Medina.