Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Forças Armadas alemãs admitem recrutar estrangeiros

Forças Armadas alemãs admitem recrutar estrangeiros
Tamanho do texto Aa Aa

E se as Forças Armadas da Alemanha deixassem de estar limitadas aos cidadãos germânicos? A ideia foi lançada pelo próprio Chefe de Estado Maior das Forças Armadas alemãs, Eberhard Zorn, que admitiu durante uma entrevista a possibilidade de recrutar cidadãos de outros países da União Europeia.

Desde o fim do serviço militar obrigatório, em 2011, que a Alemanha se tem vindo a debater com falta de pessoal nos vários ramos das Forças Armadas. Zorn assegura que o recrutamento externo é uma hipótese, nomeadamente no que diz respeito aos serviços médicos e aos serviços de informática.

A sugestão do líder do comando operacional das Forças Armadas alemãs vai ao encontro das conclusões de um documento estratégico publicado pelo ministério da Defesa em 2016. Apesar da abertura, a coesão militar seria garantida pela limitação dos potenciais candidatos a cidadãos fluentes em alemão que já se encontrem a viver no país.

Estima-se que existam atualmente mais de meio milhão de cidadãos de outros estados-membros da União Europeia a viver na Alemanha com idades entre os 18 e os 30.