Última hora

Forças Armadas alemãs admitem recrutar estrangeiros

Forças Armadas alemãs admitem recrutar estrangeiros
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

E se as Forças Armadas da Alemanha deixassem de estar limitadas aos cidadãos germânicos? A ideia foi lançada pelo próprio Chefe de Estado Maior das Forças Armadas alemãs, Eberhard Zorn, que admitiu durante uma entrevista a possibilidade de recrutar cidadãos de outros países da União Europeia.

Desde o fim do serviço militar obrigatório, em 2011, que a Alemanha se tem vindo a debater com falta de pessoal nos vários ramos das Forças Armadas. Zorn assegura que o recrutamento externo é uma hipótese, nomeadamente no que diz respeito aos serviços médicos e aos serviços de informática.

A sugestão do líder do comando operacional das Forças Armadas alemãs vai ao encontro das conclusões de um documento estratégico publicado pelo ministério da Defesa em 2016. Apesar da abertura, a coesão militar seria garantida pela limitação dos potenciais candidatos a cidadãos fluentes em alemão que já se encontrem a viver no país.

Estima-se que existam atualmente mais de meio milhão de cidadãos de outros estados-membros da União Europeia a viver na Alemanha com idades entre os 18 e os 30.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.