Última hora

Última hora

Carlos Ghosn afunda-se em ilegalidades

Carlos Ghosn afunda-se em ilegalidades
Direitos de autor
REUTERS/Issei Kato
Tamanho do texto Aa Aa

A vida do executivo Carlos Ghosn no Japão está cada vez mais difícil.

A construtora de automóveis Mitsubishi acusou, esta sexta-feira, o seu ex-presidente de ter recebido 7,82 milhões de euros em pagamentos "ilegais não autorizados".

O ex-administrador executivo da aliança Renault-Nissan e ex-presidente dos conselhos de administração da Nissan e da Mitsubishi está detido numa prisão nipónica desde 19 de novembro.

As irregularidades de que Ghosn é acusado pelas autoridades nipónicas levaram a uma investigação interna na Mitsubishi para saber se os atos denunciados pela Nissan tinham paralelo na Mitsubishi. As suspeitas foram agora confirmadas.

O presidente executivo da Mitsubishi, Osamu Masuko, disse que, de acordo com as investigações internas, Ghosn recebeu 7,82 milhões de euros de forma irregular.