A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Tribunal rejeita recurso e dá liberdade condicional a Carlos Ghosn

Tribunal rejeita recurso e dá liberdade condicional a Carlos Ghosn
Direitos de autor
Reuters
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O tribunal de Tóquio rejeitou o recurso interposto pelos procuradores com vista a manter o antigo presidente da Renault Nissan em detenção.

O brasileiro Carlos Ghosn já pode sair da prisão mediante o pagamento de uma fiança de cerca de oito milhões de euros.

O ex-presidente da construtora automóvel é acusado de ocultar das autoridades indemnizações milionárias acordadas com a Nissan Motors.

Entre outras acusações, Ghosn teria utilizado fundos da empresa para cobrir perdas financeiras pessoais, para além de realizar alguns pagamentos aparentemente injustificados a um empresário saudita.

Os dois anteriores pedidos de libertação mediante pagamento de fiança tinham sido recusados perante o receio de destruição de provas ou de que Ghosn pudesse fugir do Japão.

O antigo presidente da Renault Nissan vai agora ficar sujeito a medidas de vigilância apertadas.