A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Clima: Bélgica sob pressão juvenil poderá ter nova legislação

Clima: Bélgica sob pressão juvenil poderá ter nova legislação
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Cerca de cinco mil jovens marcharam, em Bruxelas, por melhor política sobre as alterações climáticas, pela quinta semana consecutiva.

O epicentro do protesto, esta quinta-feira, foi a cidade flamenga de Leuven (10 mil estudantes). A plataforma belga Juventude Para o Clima decidiu que haverá um "palco principal" diferente, a cada semana, mas a mensagem não difere.

"Pretendemos manter as marchas até as eleições, para que os ministros entendam que estaremos aqui até que compreendam que queremos justiça climática", disse uma das manifestantes.

"Espero mais ação nos fóruns internacionais, como a conferência COP21. Espero que o governo belga efetivamente ouça o que lhe diz o seu povo e tome medidas para ajudar as futuras gerações", disse outra.

Outra parte do setor acadêmico também está a contribuir: 11 professores, de quatro universidades, elaboraram uma "lei climática especial" que propõe a criação de um Plano de Ação e de quatro novas autoridades. Um dos autores defende uma abordagem mais participativa.

"Na lei especial existe, por exemplo, o princípio da justiça social, que é essencial se queremos alcançar os objetivos da política de luta contra as alterações climáticas", Mathias El Berhoumi, professor de Direito Constitucional na Université Saint-Louis, em entrevista à euronews.

"Estas alterações devem ser discutidas com a sociedade civil, as organizações não-governamentais e os especialistas para que , a certa altura, a política para as alterações climáticas seja implementada aceite por todos", acrescentou.

O texto académico foi adotado pelo partido ecologista belga (Ecolo-Groen), que o submeteu ao Parlamento e já conta com o apoio de outros quatro partidos para o utilizar como base de trabalho, na esperança de que possa ser aprovado antes das eleições legislativas de maio.