A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

"A Europa não está no meio de uma crise migratória"

"A Europa não está no meio de uma crise migratória"
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O número de migrantes ilegais que entraram na União Europeia caiu, acentuadamente, pelo terceiro ano consecutivo, em 2018.

A Agência Europeia de Gestão da Cooperação Operacional nas Fronteiras Externas - Frontex - alerta, no entanto, que a Europa vai continuar “sob pressão” migratória, em 2019, realçando a necessidade de monitorização, mas não prevê uma nova crise.

"Neste momento não estamos no meio de uma crise migratória nas fronteiras externas. Mas é claro que vemos que ainda existe pressão, e é por isso que estamos a desenvolver esforços para apoiar os estados membros e podemos, também, antecipar-nos. No momento, não há crise em termos de travessias irregulares nas fronteiras externas, mas há, ainda, pressão e temos, naturalmente, de estar prontos para isso", alerta o diretor executivo da Frontex, Fabrice Leggeri.

Segundo dados revelados esta quarta-feira, em 2018 pouco mais de 150 mil migrantes ilegais atravessaram as fronteiras da União Europeia, um quarto, face aos números de 2017.

Em contraciclo, o número de chegadas a Espanha através da rota do Mediterrâneo Ocidental duplicou no ano passado, pelo segundo ano consecutivo, chegando aos 57 mil.

Marrocos é o principal ponto de partida para a Europa, neste momento. A maior parte dos migrantes são marroquinos, guineenses, malianos e argelinos.