Última hora

Última hora

Crianças refugiadas do Mali voltam à escola na Mauritânia

Crianças refugiadas do Mali voltam à escola na Mauritânia
Tamanho do texto Aa Aa

A euronews esteve no campo de refugiados de Mbera, no sudeste da Mauritânia, perto da fronteira com o Mali onde vivem 55 mil refugiados.

Quase 60% dos habitantes do campo de Mbera são crianças. Como protegê-las dos abusos, do casamento forçado e impedir que sejam recrutadas por grupos armados?

Para as Organizações Não Governamentais presentes em Mbera, a educação é a melhor forma de garantir um futuro melhor para as crianças refugiadas.

Em Mbera, há atualmente 300 crianças e jovens a frequentar a escola secundária. As aulas decorrem numa tenda até que a nova escola, construída com o apoio da Ajuda Humanitária da União Europeia, esteja pronta.

Os alunos seguem o programa educativo do Mali e têm também aulas de língua árabe.

Um dos desafios para a Unicef e o Alto Comissariado para os Refugiados é encontrar professores com uma formação adequada.

"Estudei no Mali, no Instituto de Formação para Professores. Especializei-me em matemática, física e química, nível 2", contou o professor Mohamed Attacher.

Das vinte mil crianças e jovens em idade escolar, em Mbera, seis mil andam na escola. Para os professores, é um desafio dar aulas num campo de refugiados onde há muitos alunos traumatizados pela guerra e com lacunas educativas.

"Durante muitos anos, estes estudantes não puderam estudar no Mali porque viveram escondidos e depois vieram para o campo de refugiados. Tentamos ensinar o melhor possível", acrescentou Mohamed Attacher.

No ano passado, quase dois mil estudantes não compareceram ao exame da escola primária. Entre os que fizeram o exame, a taxa de sucesso foi de 60%.