Última hora
This content is not available in your region

Quebra nas vendas de queijo afeta produtores na Sardenha

euronews_icons_loading
Quebra nas vendas de queijo afeta produtores na Sardenha
Tamanho do texto Aa Aa

60 cêntimos já não chegam para um café. Mas, com a mesma quantia, um industrial de laticínios na Sardenha compra um litro de leite de ovelha.

O preço do leite de ovelha caiu mais de 25 porcento, após a queda do preço do queijo pecorino romano, que absorve cerca de metade da produção de leite de ovelha da ilha.

O produtores, como Sergio Sanna, queixam-se de que os valores praticados estão muito abaixo dos custos de produção.

"Levanto-me às cinco da manhã para fazer a ordenha. Tiro entre duzentos e duzentos e cinquenta litros de leite. E consigo sessenta a setenta euros líquidos, por dia", lamenta.

O preço do leite é determinado pelo mercado e nas prateleiras da distribuição permanecem toneladas de pecorino romano por vender.

"Tudo o que queremos fazer é produzir, produzir bem, produzir com qualidade", garante Sergio Sana, mas adverte: "Além de produzir, não podemos ser nós, não temos capacidade para lidar com a cadeia comercial"

Só a Sardenha vale metade de todo o setor nacional de ovinos e caprinos. O negócio 500 milhões de euros e engloba 12 mil quintas e trinta mil trabalhadores.

No entanto, o trabalho é exigente e pouco rentável. E as novas gerações procuram outros destinos para viver.

Agora, os produtores estão em protesto, e para além do bloqueio de estradas, estão a deitar leite forma. Preferem derramar o produto do trabalho no asfalto a vendê-lo a troco de nada. E, assim, um milhão de litros de leite de ovelha inundaram as ruas da Sardenha.

Em vésperas das eleições regionais, cabe agora à política e ao setor de laticínios dar uma resposta a esta crise.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.