Última hora
This content is not available in your region

Protestos contra projeto de diretiva dos direitos de autor na internet

euronews_icons_loading
Protestos contra projeto de diretiva dos direitos de autor na internet
Tamanho do texto Aa Aa

Inúmeras cidades europeias foram palco de protestos contra a diretiva Europeia sobre direitos de autor na internet, votada no parlamento europeu já na próxima semana.

Na Alemanha, dezenas de milhares de pessoas desfilaram em cidades como Berlim e Munique. Receiam, entre outras coisas, que a Internet seja censurada com filtros automáticos,

"Nós pedimos que pelo menos o artigo (17) em questão seja retirado. Existe uma outra solução e eu defendo que os direitos de autor sejam pagos nos conteúdos protegidos. Mas tem que haver uma outra solução", diz uma manifestante.

"O principal é que esse filtro não seja introduzido, porque nada está pronto. Têm que ser os peritos a tratar, eles percebem disso. Muitos avisaram nada vai funcionar como previsto", explica outro manifestante.

A diretiva, que deverá substituir a que está em vigor, desde 2001, quando ainda não havia "You Tube" ou o "Twitter" por exemplo, teve uma ação de apoio na capital alemã, na maioria criadores.

"A diretiva dar-me-ia o direito a um pagamento, o direito de ser reconhecido e o direito a ser informado. Naturalmente as coisas serão melhores para mim", argumenta Matthias Hornschuh, compositor.

O debate é complexo. De lado os criadores de conteúdos, como as empresas de comunicação social, defendem a diretiva, do outro as grandes plataformas como a Google são contra. Consideram que, além de censura, a criatividade digital ficará limitada, um travão para o desenvolvimento da Internet.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.