Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Eurodeputados querem abolir mudança da hora só em 2021

Eurodeputados querem abolir mudança da hora só em 2021
Direitos de autor
REUTERS/Darrin Zammit Lupi/File Photo
Tamanho do texto Aa Aa

O Parlamento Europeu aprovou, na terça-feira, a abolição da mudança de hora bianual, mas só a partir de 2021.

A Comissão Europeia propunha fazê-lo já em 2019, mas os eurodeputados consideraram que os Estados-membros deverão ter mais tempo para escolher se ficam na hora de inverno, ou na hora de verão, de forma permanente.

O governo de Portugal está contra esta ideia de abolir a mudança da hora (seguindo o conselho do Observatório Astronómico de Lisboa), mas deverá optar pelo horário de verão quando for adotada a diretiva comunitária.

Depois de a assembleia ter adotado a sua posição, através da aprovação de um relatório da comissão parlamentar de Transportes (com 410 votos a favor, 192 contra e 51 abstenções), falta agora que os Estados-membros cheguem a uma posição comum em sede do Conselho da União Europeia, devendo depois a proposta de diretiva ser acertada entre estas duas instituições.

Atualmente, existem três fusos horários na União Europeia: a hora da Europa Ocidental ou Tempo Médio de Greenwich (Portugal, Irlanda e Reino Unido), a hora da Europa Central (17 Estados-Membros), e a hora da Europa Oriental (Bulgária, Chipre, Estónia, Finlândia, Grécia, Letónia, Lituânia e Roménia). Para os Açores e as Ilhas Canárias vigoram disposições especiais.