Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Mario Monti quer uma "Europa dos povos"

Mario Monti quer uma "Europa dos povos"
Tamanho do texto Aa Aa

Em vésperas de eleições europeias, o ex-primeiro-ministro italiano, Mario Monti, deu uma enhtevista exclusiva à Euronews onde afirma que é necessário uma Europa diferente para ultrapassar o perigo populista.

Apesar de a Itália estar a ser governada por populistas, Monti acredita que no Parlamento Europeu serão minoria.

Mario Monti, ex-primeiro-ministro de Itália: "A Itália será, provavelmente, o país com maior avanço de partidos populistas ou nacionalistas nas eleições europeias. Afinal de contas, somos o único país a ter uma coligação de dois partidos, ambos populistas. Todas as previsões sugerem que não haverá maioria nacionalista no Parlamento Europeu, por isso os deputados eleitos em Itália vão sentar-se principalmente nas bancadas da oposição. Por esta razão, não espero que o próximo Presidente da Comissão Europeia seja populista, nem espero que haja uma maioria de comissários populistas ou nacionalistas. Isto significa que a Itália, no contexto dos organismos europeus, irá na direção oposta."

Euronews, Giorgia Orlandi: "A liderança europeia vai mudar em breve. Que tipo de Europa teremos depois das eleições?"

Mario Monti, ex-primeiro-ministro de Itália: "Espero que seja muito diferente da que tivemos até agora, que também conseguiu grandes coisas. Não é suficiente que, uma vez que o perigo tenha passado, se os nacionalistas não conseguirem uma maioria, que a Europa retorne, com um suspiro de alívio. ao seu modo tradicional de ser. O que significa abolir o poder de veto dos Estados-Membros. Se queremos uma Europa dos povos, precisamos de uma Europa em que a voz do Parlamento e da Comissão seja mais forte e em que os países que querem bloquear o progresso dos outros tenham uma vida mais difícil ".