A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Finlândia debate prioridades da Presidência do Conselho da UE

Finlândia debate prioridades da Presidência do Conselho da UE
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O Governo finlandês tem vindo a definir as suas prioridades para este semestre, em que tem a seu cargo a Presidência rotativa do Conselho da União Europeia. Os novos membros do Parlamento Europeu têm vindo a debater com o primeiro-ministro finlandês, em Estrasburgo.

"O governo socialista da Finlândia diz que há duas palavras no topo da sua agenda nacional: alterações climáticas. E dizem que vão trazê-las para estes seis meses de Presidência. Basicamente, quando se tem a Presidência rotativa, os governos nacionais definem a agenda para qualquer reunião dos ministros e dos líderes da União Europeia. E os finlandeses estão a dizer que a sua prioridade é atingir objetivos ecológicos. Querem ter a certeza que o bloco se compromete com a neutralidade carbónica até 2050. Há alguma resistência em relação a isso de alguns Estados-membros e aqui, no Parlamento Europeu, em Estrasburgo, o primeiro-ministro finlandês Annti Rinne tem discutido alguns temas ambientais com os eurodeputados", disse Jack Parrock, correspondente da Euronews em Estrasburgo.

"Para a União Europeia, liderança significa um compromisso com a neutralidade climática até 2050. O nosso objetivo é atingir um acordo sobre os principais elementos deste plano até 2019. Como as medidas necessárias vão ter um impacto em todos os aspetos da sociedade, estas medidas contra as alterações climáticas, devem ser realizadas de uma forma sustentável e social", sublinhou o primeiro-ministro finlandês, Antti Rinne, num discurso no Parlamento Europeu, em Estrasburgo.

"Uma das formas que os Finlandeses querem utilizar para colocar as alterações climáticas na agenda é exercer pressão sobre as negociações orçamentais para o período entre 2021 e 2027. Mas também têm outras prioridades. Querem ter a certeza que os assuntos sociais e a justiça social estão no topo da agenda, quando os ministros ou os líderes se reunirem. E também querem colocar na agenda questões de Direito, como os procedimentos contra a Hungria, Roménia e Polónia. Esta é uma prioridade para os governos socialistas da União Europeia e os finlandeses não são exceção. É durante a presidência finlandesa, a 31 de outubro, que o Reino Unido deve deixar a União Europeia. Por isso, se houver necessidade de uma nova extensão do Brexit, serão os finlandeses a presidir às reuniões em que os líderes da União Europeia e os ministros vão discutir isso", realça o correspondente da Euronews em Estrasburgo.