A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Catalunha dividida pela Independência

Catalunha dividida pela Independência
Direitos de autor
ANC/fotoperiodismo.net/Handout via REUTERS
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Milhares de pessoas celebraram, esta quarta-feira, em Barcelona, o dia da Catalunha.

A apenas algumas semanas de o Supremo Tribunal emitir o veredito sobre os separatistas detidos no âmbito do processo de independência da região, as questões sobre a autonomia continuam a mover a cidade catalã.

Na Catalunha, a divisão sobre a independência da região é sentida. Muitos acreditam que a sentença do Supremo Tribunal espanhol vai ser dura para com os líderes separatistas e que o veredicto determinar a adesão à causa independentista.

Estima-se que 600 mil pessoas tenham desfilado na Diada, o Dia da Catalunha, para o qual compareceu o menor número de pessoas registado nos últimos oito anos.

Ainda assim, o movimento separatista diz sentir-se representado e mostra-se confiante. Para o presidente da região autónoma da Catalunha, Quim Torra, foi passada "uma mensagem muito clara à Europa e ao mundo" de que o "objetivo para as próximas semanas e os próximos meses é a independência da Catalunha".

Mas mesmo entre separatistas os projetos para o futuro da Catalunha estão a criar divisões

No final da tarde, membros dos Comités de Defesa da República queimaram uma bandeira espanhola e tentaram romper uma linha policial que vedava o acesso ao parlamento regional.

O momento é decisivo. 12 líderes separatistas catalães, acusados de rebelião, aguardam pela decisão do Supremo Tribunal espanhol. Nove deles, estão na prisão, por realizar um referendo e ter declarado a independência da Catalunha em 2017.

O governo catalão reclama o direito de decidir, mas os eleitores permanecem profundamente divididos, com as últimas sondagens a apontar para mais de 48% de opositores à independência da Catalunha.