A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Exéquias de Mugabe no Estádio Nacional de Harare

Exéquias de Mugabe no Estádio Nacional de Harare
Direitos de autor
رويترز
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O adeus a aquele que, para muitos, durante os 30 anos da sua governação, passou de herói da independência do Zimbabué ao tirano que espoliou o povo.

Robert Mugabe recebeu as exéquias no Estádio Nacional em Harare com o olhar atento dos chefes de estado e do governo estrangeiros, a maioria africanos, que se deslocaram para render homenagem ao antigo presidente zimbabueano que morreu num hospital de luxo em Singapura, após a sua demissão, forçada por militares e políticos, há cerca de ano e meio.

No discurso, o presidente Emmerson Mnangagwa fez referência a um "grande libertador e pai fundador, professor".

Robert Gabriel Mugabe deixou o Zimbabué com uma economia de joelhos, noventa por cento da população não tem emprego.

Este não será um último adeus, pois, apesar da controvérsia e de discordâncias, Mugabe será enterrado dentro um mês, o tempo necessário para ser erguido o seu mausoléu, no Acre dos Heróis Nacionais.