A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Quando se irá soltar o glaciar Planpincieux nos Alpes?

Quando se irá soltar o glaciar Planpincieux nos Alpes?
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

É a questão que se colocam os peritos: quando é que se vão soltar os 250.000 metros cúbicos de gelo do glaciar Planpincieux, no maciço do Monte Branco?

Oitenta segundos serão suficientes para que o equivalente a 100 piscinas olímpicas de água gelada cheguem até o fundo do vale. As autoridades dizem que a localidade italiana de Courmayer não está em perigo. A euronews foi ver de perto o glaciar que está em risco de colapsar, na companhia do investigador Daniele Giordan, que acompanha a evolução da situação há vários anos e conhece a área particularmente bem.

Giorgia Orlandi, euronews: "Estamos a sobrevoar o glaciar Planpincieux. Podemos ver uma fenda profunda, há um enorme bloco de gelo a deslizar pela montanha abaixo, muito mais rápido do que seria normal, com a contribuição do efeito das temperaturas superiores. A inclinação aqui é extramente pronunciada e o bloco está a aproximar-se da beira da parede rochosa."

Os glaciares da maior montanha da Europa Ocidental estão a derreter, sob a ameça das alterações climáticas.

Daniele Giordan, investigador do CNR Irpi (Instituto de Pesquisa para a Proteção Hidrogeológica - Conselho Nacional de Pesquisa, em Itália): "Estamos mesmo em frente da parte final do glaciar. À nossa frente está a parte mais instável, que estamos a vigiar de perto, para acompanhar a evolução."

A equipa de Giordan criou um laboratório de observação alimentado a energia solar, que recolhe milhares de imagens por dia.

Giorgia Orlandi, euronews: "Esta estação utiliza um sistema de vigilância fotográfica, que precisa de um céu limpo e vários dias para obter imagens de comparação. No vale foi também instalado um radar. A combinação dos dois sistemas diz aos investigadores de que forma está a mudar o glaciar e os eventuais efeitos das alterações climáticas."

Daniele Giordan: "Escolhemos esta posição porque é a melhor para obter uma sequência de imagens, que usamos para medir a deslocação - em particular a componente vertical da deslocação - do glaciar. O aumento das temperaturas, sobretudo na época de verão, tem um impacto claro neste glaciar. Há, em particular, uma forte ligação entre as altas temperaturas, o gelo que derrete, a quantidade de água no interior do glaciar e a atividade do glaciar."

Com a chegada da época fria do ano, o glaciar poderá parar de deslizar pela montanha. Mas as previsões a longo termo são de um aumento global das temperaturas, o que significa que o futuro deste glaciar, bem como o dos outros nos Alpes, é mais do que incerto.