Última hora

Europeus preparam "reflexão" sobre futuro da NATO

Europeus preparam "reflexão" sobre futuro da NATO
Direitos de autor
REUTERS/Ints Kalnins/File Photo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Os 70 anos da NATO vão ser celebrados dentro de duas semanas, mas não há um espírito de festa no ar depois das ações e críticas de líderes de dois dos Estados-membros.

O Presidente norte-americano, Donald Trump, criou as condições para a Turquia intervir na Síria, o que levou o presidente francês, Emmanuel Macron, a dizer que a Aliança Atlântica está "em morte cerebral".

Nas véspera de um conselho europeu de Negócios Estrangeiros, em Bruxelas, para preparar a cimeira do aniversário, o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, apelou à união.

"A força da NATO está no facto de que, apesar das diferentes opiniões, termos sido sempre capazes de unirmo-nos em nome da ajuda e da proteção mútua. É da responsabilidade de todos os aliados assegurarem-se que o continuamos a fazer nos dias de hoje em que enfrentamos um mundo mais imprevesivel, porque em momentos de incerteza precisamos de instituições multilaterais fortes tais como a NATO", disse Jens Stoltenberg, em conferência de imprensa, terça-feira, em Bruxelas.

Enquanto maior potência, os EUA também tentam mostrar uma posição mais conciliadora, através de Vanessa Acker, porta-voz do Departamento de Estado dos EUA: "A NATO é uma organização muito dinâmica, cujo caráter transatlântico não existe em nenhuma outra organização. Esta singularidade é muito valiosa", disse, em entrevista à euronews.

A relação com a China, a luta antiterrorismo e a política espacial estão na agenda da reunião dos chefes da diplomacia da União Europeia, esta quarta-feira.

Mas a grande missão é remendar as fissuras no interior da própria Aliança Atlântica antes da cimeira de 3 e 4 de dezembro, em Londres (Reino Unido). O Presidente norte-americano prometeu estar presente.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.