Última hora
This content is not available in your region

Uma "casa do artista" à francesa

euronews_icons_loading
Uma "casa do artista" à francesa
Direitos de autor  AFP
Tamanho do texto Aa Aa

Uma "Casa do artista" à francesa: É, atualmente, uma das residências artísticas mais importantes do mundo. Localizada em Mulhouse, numa antiga fábrica têxtil, a Motoco oferece um lugar para viver e trabalhar de forma permanente e acessível a cerca de 140 criadores.

Faz cerca de 100 eventos por ano. O último baile de máscaras reuniu mais de 300 pessoas. E o livro de reservas está cheio até junho.

Há canadianos que vêm até aqui, asiáticos que estudam o sistema. Estamos a uma escala de 140 artistas o que começa a ser significativo. O projeto começa a ganhar dimensão o que nos permite chegar longe.
Martine Zussy
Presidente Motoco

Pierre Fraenkel é um artista visual, que faz trabalhos como duplo e gosta de máscaras. Jingfang Hao é de origem chinesa, exibe os seus trabalhos no Centro Pompidou e no Palais de Tokyo em Paris e também na bienal de arte de Lyon: "Há espaço, várias coisas dinâmicas que se encontram raramente noutras cidades de França".

As dificuldades que enfrentamos e a aposta que fazemos é fazer com que seja um projeto duradouro e não substituir os artistas por startups amanhã... porque é isso que acontece com frequência noutros locais.
Martine Zussy
Presidente Motoco

Na vanguarda da conversão de áreas industriais em centros culturais, a casa do artista Motoco é um laboratório de ideias que desperta curiosidade e interesse dentro e fora de França.