Última hora
This content is not available in your region

"Brit Awards 2020": Dave vence prémio e ataca Boris Johnson

Rapper londrino recebeu o prémio britânico de melhor álbum do ano
Rapper londrino recebeu o prémio britânico de melhor álbum do ano   -   Direitos de autor  Joel C Ryan/Invision/AP
Tamanho do texto Aa Aa

O "rapper" Dave aproveitou os holofotes dos "Brit Awards 2020", os prémios britânicos da música entregues terça-feira à noite, para acusar o primeiro-ministro Boris Johnson de ser "um racista".

No final da atuação do tema "Black", o vencedor do prémio para melhor álbum do ano alterou a letra e incluiu a frase: "a verdade é que o nosso primeiro-ministro é um verdadeiro racista".

A ministra do Interior do Reino Unido, Priti Patel, reagiu esta quarta-feira de manhã às acusações de Dave a Boris Johnson e disse tratar-se de "um completo disparate".

"Não sei em que se baseiam esses comentários. É errado fazer juízos de valor sobre indivíduos quando não se conhecem as pessoas e em especial o primeiro-ministro. Ele não é de todo um racista e acho esses comentários inapropriados", afirmou Patel, numa entrevista à Sky News.

Nascido em Londres e de ascendência nigeriana, Dave, de 21 anos, não se ficou apenas pelo primeiro-ministro e aproveitou também para pedir apoio à chamada "geração Windrush" e para as vítimas do incêndio na torre Grenfell.

Dave foi distinguido com o prémio mais cobiçado da noite, o de melhor álbum, por "Psychodrama", o segundo LP de Rap a receber o título nos Brit Awards depois de "Gang Signs & Prayer", de Stormzy, em 2018.

Lewis Capaldi foi outro dos grandes vencedores da noite. O multi-instrumentista escocês foi eleito a revelação do ano e o autor do melhor single, "Someone You Love", uma música sobre a avó que perdeu há uns anos, garantiu o escocês.

Em destaque esteve também Billie Eilish. Acompanhada pelo guitarrista Johnny Marr e por uma orquestra liderada por Hans Zimmer, a norte-americana, de apenas 18 anos, apresentou ao vivo pela primeira vez o novo tema da saga "James Bond".

A autora de "No Time to Die", que passa por Portugal em julho, levou para casa o prémio de Melhor Artista Feminina Internacional.

De resto, os Foals foram eleitos o Melhor Grupo, Stormzy o Melhor Artista Masculino, Mabel a Melhor Artista Feminina e Taylor the Creator o Melhor Artiosta Masculino Internacional.