Última hora
This content is not available in your region

Indústria das pescas em perigo devido à pandemia

euronews_icons_loading
Indústria das pescas em perigo devido à pandemia
Direitos de autor  Andrew Medichini/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Depois de mais uma noite de trabalho na costa de Itália, longe do medo provocado pela pandemia de coronavírus, os pescadores regressam ao porto de Fiumicino, perto de Roma, escoltados por gaivotas e golfinhos.

Mas com o porto à vista, os perigos da realidade também aparecem. Há que colocar as máscaras antes de ir vender o peixe. Com o país fechado dentro de quatro portas, não encontram motivos para sorrir.

Como pode calcular, houve uma queda de 50%, tanto nas vendas quanto nas encomendas, assim como nos nossos lucros. Antes, saíamos para (pescar) cinco dias por semana, agora por causa do vírus e por causa das encomendas só vamos pescar apenas três dias por semana.
Pasquale Di Bartolomeo
Pescador

Passa-se o mesmo em França - os pescadores não vendem o suficiente atualmente. Antes do confinamento, eram vendidas, aproximadamente, 60 toneladas de peixe todas as semanas no porto de Boulogne-sur-Mer. Agora, as vendas caíram para 15 toneladas e os preços estão 20% mais baixos - 5000 empregos estão em perigo na indústria das pescas devido à pandemia.

É uma catástrofe, não há outra maneira de dizer isto. É preciso pagar às pessoas, pagar as faturas e não é com esta pequena quantidade de peixe que vamos conseguir.
Jean Michel Level
Cooperativa Marítima Etaploise

Mas no porto de Durres, na Albânia, 50 mulheres que trabalham numa fábrica de conservas de anchovas não têm mãos a medir e o volume de negócios está a aumentar.

A anchova tem ainda mais procura, porque as pessoas não podem sair e fazem pizza em casa, o que aumentou bastante as vendas. As vendas de anchova aumentaram 30%.
Orlando Salvatore
Dona da fábrica Nettuno

Antes da pandemia, a fábrica exportava 25 mil quilos de anchovas enlatadas todos os meses para países da União Europeia. Agora, vende mais de 34 mil quilos.

O peixe que está a ser processado agora foi capturado em 2019. A temporada de pesca deste ano começa neste mês de abril, mas é provável que seja interrompida devido às restrições em torno do coronavírus.