EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Donald Trump insiste nas críticas à OMS

Donald Trump insiste nas críticas à OMS
Direitos de autor AP
Direitos de autor AP
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Presidente dos EUA acusa organização de má gestão da pandemia causada pelo novo coronavírus

PUBLICIDADE

Os Estados Unidos da América registam cerca de 430 mil casos confirmados de infeção por covid-19 e, de acordo com a Universidade Johns Hopkins, o número de mortes ultrapassa os 14.500.

Em plena crise, esta semana o presidente Donald Trump criticou o modo como a Organização Mundial de Saúde tem gerido a pandemia e ameaçou deixar de contribuir.

Criticado, o atual inquilino da Casa Branca insiste e avisou que a sua administração vai investigar e determinar o que vai fazer. Trump frisou que há países que contribuem menos do que os Estados Unidos. O presidente norte-americano acusou a OMS de errar ao minimizar a ameaça de "forma muito forte e nada boa".

As críticas a Donald Trump não vêm apenas do estrangeiro. No país, o presumível candidato do Partido Democrata às presidenciais tem criticado o presidente.

Joe Biden considera que a resposta dos Estados Unidos no combate à pandemia foi demasiado lenta e afirmou que "uma tragédia adicional a esta crise é a quantidade de dor que poderia ter sido evitada com uma ação rápida de decisão. Este é um desafio que exige liderança. Exige transparência, e exige urgência".

O estado de Nova Iorque continua a ser o epicentro da pandemia no país, registando mais de 6200 mortes e cerca de 150 mil casos de infeção confirmados. A covid-19 já fez mais vítimas naquele estado do que o ataque às Torres Gémeas no 11 de setembro de 2001.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Donald Trump acusado de cometer "crime contra a humanidade"

Biden apela à libertação de jornalistas no jantar dos correspondentes de imprensa

Mike Pence: "A maioria dos norte-americanos acredita no nosso papel de líderes do mundo livre"