Última hora
This content is not available in your region

Eurodeputados exigem compromisso na cimeira da UE

euronews_icons_loading
Eurodeputados exigem compromisso na cimeira da UE
Direitos de autor  Isabel Marques da Silva, correspondente da euronews em Bruxelas
Tamanho do texto Aa Aa

"A proposta do chefe de governo espanhol, Pedro Sánchez, de criar uma "bazuca" de 1,5 biliões de euros para enfrentar a pandemia no curto e médio prazo é considerada razoável pelo primeiro-ministo de Portugal, António Costa", explica Isabel Marques da Silva, correspondente da euronews em Bruxelas.

"Os l´ideres do sul têm sido dos que mais defendem um pacote de financiamentos volumoso ao nível do orçamento da União Europeia para os próximos sete anos e de um fundo de resposta a recessão que se avizinha. Nessa postura terão o apoio do Parlamento Europeu, que tem poder de veto sobre estes instrumentos financeiros, e no qual a grande maioria dos grupos políticos apela a uma solidariedade europeia", acrescenta a correspondente.

PE
Pedro Silva Pereira, vice-presidente do Parlamento EuropeuPE

Pedro Silva Pereira, socialista e um dos vice-presidentes do Parlamento Europeu, considera que os eurodeputados deram um sinal forte aos líderes ao aprovarem uma resolução forte nesse sentido, assinada pelos quatro maiores grupos parlamentares (centro-direita, centro-esquerda, liberal e verdes) na sessão plenária, na passada sexta-feira.

"Não antecipo transformações mágicas nas dificuldades políticas na reunião do Conselho Europeu, mas espero que a posição clara do Parlamento Europeu e o apoio dos maiores grupos políticos, que são também os que suportam os governos que estão a volta da mesa, ajudem a influenciar uma decisão mais solidária e mais forte de resposta a esta crise", disse o eurodeputado numa videoconferência de imprensa para jornalistas portugueses.

O presidente do Parlamento Europeu, David Sassoli, pediu aos líderes da União Europeia que recorram a “todos os instrumentos possíveis” para combater a crise gerada pela Covid-19 e garantir a recuperação das economias pós-pandemia.

Os eurodeputados falam agora em "obrigações de recuperação"para se referirem a títulos de dívida pública a serem emitidos pela Comissão Europeia, que tem grande reputação nos mercados financeiros, garantidas pelo orçamento comunitário e que poderiam, ainda, ter garantias dadas por Estados-membros.

Apesar de estar contra a emissão de dívida pública conjunta pelos Estados-membros, a Alemanha deverá fazer um esforço suplementar para que se chegue a acordo até porque vai receber a presidência da União Europeia já em julho.