Última hora
This content is not available in your region

"Skin", o documentário que conta a história da nudez no cinema

euronews_icons_loading
Ap photo
Ap photo   -   Direitos de autor  AP Photo
Tamanho do texto Aa Aa

A nudez nos filmes foi um passo enorme na indústria cinematográfica, um passo que não tem muitos anos. “Skin” conta esse processo, desde as primeiras cenas de nudez e de sexo em Hollywood às mudanças morais que alteraram o cinema norte-americano para sempre.

Jim McBride, produtor de "Skin: A história da nudez nos filmes" dá o exemplo de Marilyn Monroe, uma das primeiras a quebrar o tabu da nudez frente câmera. Jim McBride acredita que a normalidade da nudez na sétima arte em Hollywood surge com as primeiras cenas de nudez da atriz.

"Na verdade, essas cenas tornaram-se ainda mais popular. Esse foi o início aqui nos EUA para que mais nenhum ator tivesse probelmas em despir-se", disse McBride.

O realizador deste novo documentário diz que no momento em que a imagem da nudez se tornou normalizada, os filmes mudaram. Danny Wolf acredita que o sexo, o amor e a violência começaram a ser contados sem pudores e tornaram-se numa nova normalidade nos filmes dos anos 80.

Quanto ao fenómeno #MeToo, sobre a igualdade de género, o produtor do documentário, a nudez pouco tem a ver com sexismo. Jim Mcbride diz que o movimento #MeToo não trouxe menos cenas de nudez ou de sexo aos filmes, "pelo contrário".

"Se acham que o movimento #MeToo reduziu a quantidade de nudez e de sexo nos filmes, pensem novamente.", disse McBride.

De acordo com um novo documentário, há mais nudez do que nunca na atualidade. "Skin: A história da nudez nos filmes" estreou a 18 de agosto nos EUA.