EventsEventosPodcast
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Milhares no aniversário do famoso discurso "eu tenho um sonho" de Martin Luther King

Milhares no aniversário do famoso discurso "eu tenho um sonho" de Martin Luther King
Direitos de autor Jacquelyn Martin/ Associated Press
Direitos de autor Jacquelyn Martin/ Associated Press
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Numa altura em que os Estados Unidos vivem uma grave convulsão social por questões raciais, milhares de pessoas juntaram-se em Washington para recordar o discurso "eu tenho um sonho" de Martin Luther King, na marcha de há 57 anos, e exigir justiça e igualdade de direitos.

PUBLICIDADE

No dia dos 57 anos da manifestação em Washington em que o icónico ativista Martin Luther King pronunciou o famoso discurso "Eu tenho um sonho", milhares de apoiantes da causa negra nos Estados Unidos reuniram-se na capital norte-americana para exigir igualdade de direitos e justiça nos recentes episódios de violência policial.

Entre eles, a neta de Martin Luther King. "Nós vamos ser a geração que vai desmantelar o racismo sistémico, de uma vez por todas, agora e para sempre. Vamos ser a geração que vai travar a brutalidade policial e a violência armada, de uma vez por todas, agora e para sempre", declarou Yolanda Renee King.

Na manifestação esteve também o pai de Jacob Blake, homem baleado quatro vezes nas costas durante uma detenção na semana passada por, alegadamente, ter resistido à polícia e estar na posse de uma faca.

"Há dois sistemas de justiça nos Estados Unidos. Há um sistema branco e um sistema negro. O sistema negro não está muito bom mas nós vamos nos erguer. Todo negro norte-americano vai erguer-se. Estamos cansados. Cansados de olhar para as câmaras e ver estes jovens negros e castanhos a sofrer", declarou Jacob Blake, pai.

As convulsões sociais internas nos Estados Unidos serão tema marcante nas eleições presidenciais norte-americanas, agendadas para dentro de dois meses.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Contra Trump e pelo movimento "Black lives Matter"

Trump reage à frase amarela "Black Lives Matter" pintada em frente à sua torre

Biden chama nações "xenófobas" à Índia e Japão