EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Partido grego Aurora Dourada considerado uma organização criminosa pela justiça

Partido grego Aurora Dourada considerado uma organização criminosa pela justiça
Direitos de autor Petros Giannakouris/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Petros Giannakouris/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A formação política de extrema-direita foi considerada uma organização criminosa por um tribunal de Atenas no final de um julgamento que durou 5 anos

PUBLICIDADE

O veredito da justiça grega não deixa margem para dúvidas: 68 elementos do partido de inspiração Nazi Aurora Dourada, entre os quais 18 deputados, foram considerados membros de uma organização criminosa. A leitura do acórdão foi realizado debaixo de fortes medidas de segurança.

O veredicto coloca um ponto final a um processo que se arrastou durante cinco anos, tendo ficado provado que o partido, que chegou a ser a terceira maior força política na Grécia, operava como um grupo paramilitar e contribuiu ativamente para o aumento da violência contra refugiados e estrangeiros no país.

Apesar de algumas escaramuças com a polícia, a decisão foi acolhida com aplausos por milhares de pessoas que aguardavam o veredicto junto ao Palácio de Justiça de Atenas.

O Aurora Dourada é um partido de inspiração nazi fundado na década de 80 que saltou para a ribalta nas eleições de 2012, quando elegeu 21 deputados em plena crise económica grega. Os seus dirigentes, que se descrevem como patriotas ultranacionalistas e não escondem a admiração por Hitler, queixam-se de perseguição política.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Eurodeputados querem afastamento de líder da extrema-direita grega

Tribunal russo condena soldado americano a quase quatro anos de prisão por roubo

Biden apoia o filho após condenação, mesmo sem indulto. "Estamos orgulhosos do homem que ele é hoje"