Última hora
This content is not available in your region

Europa mobiliza-se para travar segunda onda de coronavírus

euronews_icons_loading
Europa mobiliza-se para travar segunda onda de coronavírus
Direitos de autor  AP
Tamanho do texto Aa Aa

Os italianos preparam-se para restrições mais apertadas depois de o país ter registado mais 10 mil novas infeções de coronavirus. O governo pondera avançar com novas medidas para travar a Pandemia. Os cidadãos estão apreensivos.

"Estou com receio de novas medidas. Não creio que precisemos, porque podemos ficar bem com espaço e máscaras. Não é necessário fechar tudo porque se não morrermos de Covid-19, iremos morrer de fome", explica uma italiana.

No Reino Unido, Inglaterra está sob restrições apertadas. A Londres foi atribuído o segundo nível de alerta mais alto a partir de meia-noite de sexta-feira o que impede as pessoas de diferentes habitações se reunirem em casa.

"Quanto mais para norte formos, mais penalizados somos. Por isso, ficamos zangados, claro. E não podemos fazer muito contra isso porque a ultima palavra pertence aos governos", diz o proprietário de um bar.

Algumas cidades francesas, as que estão em alerta máximo, viveram a primeira noite em modo de recolher obrigatório. São mais de 20 milhões de cidadãos impedidos de sair à rua entre as 21h e as 6h da manhã. Medida contestada por proprietários de bares e restaurantes.

A Polónia avançou com mais restrições, impôs confinamentos nalgumas regiões e pediu às pessoas para permanecerem em casa dentro da medida do possível no contexto de um aumento recorde de casos de coronavirus.