Última hora
This content is not available in your region

João Almeida de "unhas e dentes" na camisola rosa

João Almeida passou boa parte da etapa desta terça-feira integrado no pelotão
João Almeida passou boa parte da etapa desta terça-feira integrado no pelotão   -   Direitos de autor  Massimo Paolone/LaPresse via AP
Tamanho do texto Aa Aa

João Almeida manteve e até alargou ligeiramente a vantagem de líder, no final da 16.ª etapa da Volta a Itália em bicicleta.

O ciclista português, da Deceuninck Quick Step, foi premiado pelo ataque desferido no derradeiro quilómetro e soma já 14 etapas como dono da "camisola rosa".

O holandês Wilco Kelderman vai partir para a 17.ª etapa a 17 segundos do líder, mais dois segundos do que tinha à partida nesta terça-feira.

O terceiro da geral do "Giro 2020" é o australiano Jai Hindley, companheiro de Keldeman na Sunweb, a 02:58 minutos de Almeida.

O triunfo na 16.ª etapa foi para o esloveno Jan Tratnik (Bahrain McLaren), que concluiu os 229 km do trajeto desta terça-feira em 06:04,36 horas, com uma média de 37,7 km/h. O segundo foi o australiano Ben O'Connor, a 07 segundos.

No final da etapa, João Almeida explicou o derradeiro quilómetro com uma máxima bem conhecida no desporto.

Às vezes a melhor defesa é o ataque. Foi o que fiz.

"Sentia-me bem, no final, e ataquei no último troço. Ganhei alguns segundos. Correu bem.
João Almeida
Líder da Volta a Itália em bicicleta

O português admite que a corrida "está a tornar-se cada vez mais mental" e parece preparado para a luta. "É claro que temos de ter pernas, mas às vezes a mente é mais importante", considerou.

Questionado se o ataque foi uma forma de recuperar alguma da confiança que pode ter ficado abalada com a tirada de domingo, Almeida não concordou e respondeu: "Não posso ganhar mais confiança do que isto".

"Tem sido uma loucura para mim, muito bom, e estou muito agradecido à minha equipa, os ciclistas, os técnicos. Estou-lhes muito agradecidos e vamos ver até onde posso ir", rematou o português.

O outro português em destaque nesta Volta a Itália, Rúben Guerreiro, cortou a meta pouco mais de um minuto à frente de João Almeida e, com 118 pontos, mantém-se na segunda posição do prémio da montanha, de que já foi o portador da "camisola azul", agora na pose do italiano Giovanni Visconti (148).

A 17.ª etapa corre-se esta quarta-feira entre Bassano del Grappa e Maddona di Campiglio, num trajeto montanhoso de 203 km.