Última hora
This content is not available in your region

Europa adota medidas drásticas contra a covid-19

De  Bruno Sousa
euronews_icons_loading
Europa adota medidas drásticas contra a covid-19
Direitos de autor  ADEM ALTAN/AFP
Tamanho do texto Aa Aa

Na próxima terça-feira, restaurantes e bares da Suíça vão fechar portas durante um mês para tentar travar a progressão da covid-19 no país. Uma medida que sabe a pouco para a comunidade científica do país, até porque comércio e estâncias de esqui irão continuar a operar.

O ministro da Saúde, Alain Berset, admite que a taxa de incidência por cem mil habitantes é o triplo de França ou Espanha, pelo que é preciso agir imediatamente.

Já a Áustria não hesita em tomar medidas drásticas. A 27 de dezembro o país irá entrar num confinamento total pela terceira vez, com o encerramento de todas as atividades não essenciais. A liberdade dos austríacos será recuperada a 18 de janeiro... mas só para quem realizar um teste à covid-19 entretanto e tiver um resultado negativo.

Na Eslováquia a situação é pior que nunca e este sábado todo o comércio não essencial fecha portas durante três semanas, a circulação também fica fortemente limitada. O surto tem vindo a ganhar força no país e um dos quase quatro mil novos casos registados esta sexta-feira foi o primeiro-ministro, Igor Matovič.

Na Suécia a abordagem suave no combate à pandemia pertence ao passado e o país começa a apertar as medidas de restrição. O uso de máscara vai ser obrigatório em transportes públicos, as escolas vão fechar e o acesso ao comércio vai ser fortemente limitado. A Suécia tem cerca de oito mil mortes associadas à covid-19 e o próprio rei já admitiu que o país tinha falhado na gestão da crise.